Seguidores

domingo, 29 de dezembro de 2013

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A sabedoria é como favo de mel


“Não repreendas o tolo, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará. Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina o justo e ele aumentará em entendimento”.  Pv 9:8-9
Salomão foi um dos maiores homens que já pisou na Terra. Deus lhe apareceu em um sonho,  dando-lhe a oportunidade de pedir o que quisesse. Salomão pensou um pouco e agradeceu pela Sua bondade e também assumiu que era imaturo demais para reinar uma nação.
Decidiu então pedir por sabedoria. Deus se agradou tanto do pedido que lhe disse: já que você não pediu uma vida longa, nem dinheiro e nem a morte dos seus inimigos, mas pediu sabedoria; farei como você pediu e também lhe darei mais dinheiro, posses e glória do que a todos os outros reis que já existiram ou existirão. Se você andar nos Meus caminhos, Eu prolongarei os seus dias ( 1 Reis 3.3-15 e 2 Crônicas 1.7-12).

Salomão foi um grande administrador da nação de Israel e jamais houve outro rei como ele. O exercito de seu reinado reunia 40 mil cavalos e 12 mil cavaleiros e ele fez grandes investimentos na marinha israelense. Todos pagavam seus impostos alegremente, pois o governo cuidava do povo e lhes provia segurança e paz. Salomão não fez nenhum escravo. A riqueza do reino era tão grande que em 2 Crônicas 1.15-17 diz que haviam “prata e ouro como pedras” – isso é muita prata e muito ouro – e que Salomão tinha grandes vantagens econômicas nas importações e exportações de Israel.

Sobre a sabedoria de Salomão, a bíblia diz: “Deu também Deus a Salomão sabedoria, grandíssimo entendimento e larga inteligência como a areia que está na praia do mar. Era a sabedoria de Salomão maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios. Era mais sabe do que todos os homens (…) e correu a sua fama por todas as nações em redor. Compôs três mil provérbios, e foram os seus cânticos mil e cinco. Discorreu sobre todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano até o hissopo que brota do muro; também falou dos animais e das aves, dos répteis e dos peixes. De todos os povos vinha gente para ouvir a sabedoria de Salomão, e também enviados de todos os reis da terra que tinham ouvido da sua sabedoria” (1 Reis 4.29-34).


Salomão tinha grande conhecimento em biologia, além de ser um grande escritor . Escreveu os livros bíblicos de Eclesiastes, Cântico dos Cânticos e Provérbios. Reis vinham de todas as partes da terra para visitá-lo e admirar sua sabedoria. Foi responsável pela construção do templo de Deus e presenciou a presença e a glória de Dele quando o mesmo foi terminado. “Assim, o rei Salomão excedeu a todos os reis do mundo, tanto em riqueza, como em sabedoria. Todo o mundo procurava ir ter com ele para ouvir a sabedoria que Deus lhe pusera no coração (1 Reis 10.23-24).

Este, que foi o homem mais sábio da terra, de um momento pra o outro se tornou o mais tolo. A Bíblia diz que Salomão amou “mulheres estrangeiras, moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hetéias, mulheres das nações de que havia o SENHOR dito aos filhos de Israel: Não caseis com elas, nem casem elas convosco, pois vos perverteriam o coração, para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão pelo amor. Tinha 700 mulheres, pricesas e 300 concubinas; e suas mulheres lhe perverteram o coração. Sendo já velho, suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses e seu coração não era de todo fiel para com o SENHOR, seu Deus, como fora o de Davi, seu pai. Salomão seguiu Astarote, deusa dos sidônios e Astarote, abominação dos amonitas. Assim, fez Salomão o que era mau perante o SENHOR e não perseverou em seguir ao SENHOR, como Davi, seu pai” (1 Reis 11.1-6).

Salomão se tornou um idólatra e começou a seguir falsos deuses. Alguns desses deuses exigiam sacrifícios de recém nascidos em seus rituais de cultos e ele chegou ao ponto de construir templos para esses deuses. Salomão se desviou de Deus porque entrou em relacionamentos sobre os quais Deus avisou que ele não entrasse.
Qual a lição que podemos tirar dessa história? Quase sempre achamos que não há problema em se relacionar  com alguém que não ama e nem conhece a Jesus, pois acreditamos que somos autossuficientes em nossa fé. Ou então, inventamos uma desculpa qualquer e dizemos que jugo desigual era só para o contexto da época e que está ultrapassado. Pensemos no caso de Salomão, antes de inventarmos estas desculpas. Se você começa a considerar um cônjuge, namorado ou namorada que não é cristão, pense comigo antes de criar seus próprios motivos.
Onde vocês irão nos domingos de manhã? Com quem você vai orar todas as noites? A quem você vai confessar seus pecados e pedir um aconselhamento de acordo com a palavra de Deus? Com quem você vai ler a bíblia e contar das coisas incríveis que Deus tem feito para você?
E seus filhos? O que vai acontecer quando ele(a) decidir que quer levar os filhos para um templo pagão qualquer? Como vai ser quando o nome de Jesus for zombado toda vez que você tentar falar sobre ele para as crianças?


"Assim como o favo de mel é doce na sua língua, assim também a sabedoria é boa para a sua alma."
Pense nisso!  Deus te abençoe e te encha de sabedoria!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

...e vos darei pastores segundo o meu coração...


E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos guiarão com conhecimento e discernimentoJeremias 3.15
Quando analisamos esse texto proferido pelo profeta Jeremias sob inspiração divina, verificamos que é Deus quem dá pastores à sua igreja. É Deus quem coloca os membros no corpo, segundo o seu querer. Os pastores são dados à Igreja segundo o seu coração.

Sendo assim, um pastor deve ter a consciência de que foi chamado e vocacionado por Deus para cuidar do Seu povo. Ele deve ser exemplo de vida e piedade para o rebanho e em nada considerar a sua vida preciosa para si mesmo. Seu exemplo de vida deve ser o mais eloquente sermão.
Não deve cuidar do povo com rigor excessivo, mas cuidar com amor ágape e ternura. Deus nunca deu a nenhum homem procuração para ser dono do rebanho, pois a Igreja é Dele.

O pastor deve pastorear a todos, sem distinção: os dóceis e os indóceis. Aplicar-se ao estudo das Escrituras deve ser o seu foco, pois ele é um mordomo das riquezas de Deus.
Por isso a importância do conhecimento e também da sabedoria, ou seja, discernimento de cada situação que se apresenta, para que possa intervir da maneira correta.
Quando o pastor deixa de crescer, automaticamente, o rebanho que está sob os seus cuidados fica estagnado.

Buscar exercer o ministério com excelência, deve ser o objetivo a ser alcançado por todo aquele que foi chamado para tão sagrado e importante ofício.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

O programa nuclear iraniano e a guerra de Gogue e Magogue


Observando-se os últimos acontecimentos no oriente médio e considerando-se as alianças e acordos multilaterais que estão unindo diversos países, e incluem-se aqui as maiores potências mundiais, creio que o cenário profético descrito há aproximadamente 2600 anos atrás pelo profeta Ezequiel está preparado para o que se chama a batalha de Gogue e Magogue.
Considerando-se o acordo alinhavado por seis potências mundiais junto ao Irã com relação ao seu programa nuclear e as imediatas reações do primeiro ministro de Israel Benjamin Netanyahu, verifico que a possibilidade de um ataque de Israel aos sítios nucleares iranianos ( todos protegidos por sistemas antimísseis russos) não é algo difícil ou impensável.

Caso isso aconteça, imediatamente a Rússia entrará em ação visando defender os seus interesses comerciais na região. Como se sabe, eles dependem em demasia do petróleo e gás produzidos nessa região para abastecimentos de sua frota de navios, aviões, carros e também para seus sistemas de aquecimento, visto que suas terras são geladas.
Soma-se a isso o fato de terem diversos acordos  comerciais com outros países que declaradamente são inimigos de Israel e que rapidamente se tornariam aliados para uma futura intervenção em Israel.

Esse cenário foi descrito pelo profeta Ezequiel nos capítulos 38 e 39 e, com uma riqueza de detalhes impressionante convergem para esse tempo, dando indícios de que estamos vivendo os últimos dias da era da Graça.
Em Ezequiel 38: 1 Deus dá uma instrução ao profeta: Vire seu rosto contra Gogue (este é o homem) e a terra de Magogue (este é o reino), príncipe de Rosh ( este é um nome próprio que significa Rússia), Meseque ( que significa Moscou) e Tubal ( que significa a antiga cidade da Rússia chamada Tobolsk, onde fica hoje o Kremlim) e profetiza contra ele”.

Esse homem virá  junto com outros povos (Ez 38:5): Pérsia ( Irã), Etiópia (Sudão), Pute (Líbia ),  Gômer (Alemanha)  e Bete-Togarma ( Turquia e Armênia)

Alguns países aliados de Israel vão protestar diplomaticamente, mas não impedirão a invasão. (Ez 38:13). São eles: Sebá (Iêmen) e Dedã (Arábia Saudita), e os mercadores de Társis ( Grã-Bretanha/ Reino Unido) e todos os seus leõezinhos ( EUA, França).

Israel estará totalmente só, dependerá somente de Deus, Os invasores dirão: Iremos a uma terra de vilas sem muros ( sem proteção, desassistida, provavelmente o EUA não mais estarão protegendo Israel e nem serão mais considerados uma superpotência). Então Deus entrará em ação e lutará essa batalha.
O Guarda de Israel destruirá esses milhões de soldados invasores nas colinas de Israel de três maneiras:
1º - Ez 38:19  -Um grande terremoto ( A terra irá engolir parte significante desse exército)
  Ez 38:21 – Cada espada se voltará contra seu irmão ( fogo amigo)
3º Ez 38:2 – Granizo

A vitória será tão grande que Israel levará sete meses para enterrar os mortos e sete anos para incinerar as armas de guerra

É tempo de levantarmos as nossas cabeças, pois a nossa redenção está próxima!!!

Deus te abençoe!!!

 

sábado, 16 de novembro de 2013

terça-feira, 5 de novembro de 2013

A esterilidade de Ana e a graça de Deus - I Samuel 1

Geralmente, pessoas excepcionais, que fizeram coisas excepcionais, tem por traz desse sucesso um pano de fundo onde, quase sem exceção, o algo mais que essas pessoas possuem foi gerado no ventre da adversidade.

Deus traz grandeza da fraqueza, da maldição Ele traz benção, da esterilidade Ele traz multiplicação.

Da extrema pobreza, abundância, do pouco, o muito. Ele traz força da tribulação, da adversidade e da tristeza, Ele traz uma canção.     Quanto mais somos afligidos, de alguma forma, mais crescemos.
Grandes líderes surgem em tempos difíceis. As conquistas são muitas vezes geradas em um processo de dor. As crises que temos com nossos filhos são porque damos a eles tudo,  exceto o que os faz crescer. O que os faz crescer são as adversidades. Benefícios não fazem crescer e sim as adversidades.

Quando  lidamos  com a aflição e a adversidade vem a resistência... Quando se treina levantamento de pesos, é o treinamento da resistência que desenvolve os músculos; quanto mais os pesos te resistem mais forte você fica.
Quanto mais a vida te resiste mais forte você fica. Quanto mais desvantagens você têm, mais enérgico e persistente você fica. É por isso que a Bíblia diz: “Foi-me bom ter sido afligido”, pois se não tivesse sido afligido, não teria conhecido  a bondade, a glória e o poder do Senhor.

Quando vemos o sucesso do outro muitas vezes nos frustramos e não entendemos que são “cutucões de Deus” para nos despertar e nos levar a outro nível, para não nos acomodarmos no nível de graça que estamos.
Ana tinha o desejo de ter um filho, e precisamos entender que só porque ela não tinha filhos não quer dizer que ela não tinha a Graça de Deus

Só porque uma área de sua vida não está funcionando do jeito que você gostaria não quer dizer que não haja Graça sobre você. Às vezes, quando algo não funciona bem, isso se torna tão grande para nós que não conseguimos reconhecer a Graça de Deus em outras áreas. Aquilo que não vai bem na nossa vida tende a dominar nosso pensamento.
 Ana era uma mulher casada, casada com um homem muito rico, casada com um homem próspero, um homem que a amava, um homem que quase a serve, a adora. Segundo, ela é uma mulher espiritual. Todas as necessidades dela são supridas. Ela está em um ambiente onde tudo que ela pede é suprido por capricho, e ainda assim há problemas.

Você pode ser bem sucedido em uma área e fracasso em outra. Só porque Paulo foi o maior apóstolo em sua geração não significa que ele não tivesse um espinho na carne. Às vezes a Graça coloca um espinho na nossa vida para que não nos tornemos arrogantes. Nós acostumamos com a ideia da Graça como um papai Noel distribuindo presentes, mas às vezes ela nos dá problemas. A Graça nos coloca em uma posição onde as coisas não funcionarão bem em nossa vida, para nos colocar de joelhos, para nos fazer buscar a Deus de uma forma que não o buscaríamos se tudo estivesse bem.
A vida, as circunstâncias da vida te farão um guerreiro de oração.  Algo que não está funcionando agora e está te atormentando nada mais é do que um espinho da Graça te levando a outro nível de intimidade e experiências com Deus. A Graça colocou Ana em uma categoria em que seu ventre estava fechado e a sua colega estava gerando um filho atrás do outro... E ela é levada a um lugar de oração.  Tudo porque Deus tinha uma resposta ao caos no templo.

Havia um caos no templo, o sacerdócio estava corrompido, não se fazia distinção entre o sagrado e o profano.   Eli não exercia liderança alguma e Deus tinha um plano para responder a tudo isso.  Mas Ele não tem pressa, não se apavora, não se desespera, não fica ansioso. Ele está no controle. Como um quebra-cabeça, Ele mexe várias peças, vários eventos na nossa história simultaneamente até que haja um cenário para o cumprimento da sua vontade.   Da total falta de liderança, da total ausência de sacerdócio, da total inobservância a Sua Palavra, Ele vai levantar um grande líder, um grande profeta, um grande sacerdote.
Deus está preparando outra geração, uma nova geração. Do meio da geração mais corrupta, mais mundana, Ele vai tirar a geração mais santa, mais preciosa, mais comprometida com sua Palavra, que ouve a Sua voz. Onde abundou o pecado superabundou a Graça.

Deus escolheu um ventre estéril para produzir a resposta, um ventre de uma mulher que adorava excessivamente, porque ela foi ferida, afligida excessivamente.
Ana está tentando se mover de uma dimensão da Graça para outra. Eu sei que foi a graça que me manteve quando meu ventre estava fechado. Mas antes de morrer quero experimentar outro nível da Graça. E ela disse: Senhor, se o Senhor me permitir passar dessa Graça para esta Graça, não irei ficar com todo o crédito, mas vou te devolver toda glória, toda honra, todo o louvor.

O lugar onde estamos é uma dimensão da graça de Deus. Ela começou a orar e a Bíblia diz que Deus lhe abriu a madre. E ela veio a gerar um filho, seu nome era Samuel.
Ela esperou por este filho toda a vida. Você pode imaginar o quanto ela amava esse filho? Esperou a vida toda para tê-lo e finalmente conseguiu. Não há nada como ter algo que você nunca teve. As pessoas sempre tiveram.

As pessoas sempre tiveram um carro e não dão valor a ele... pessoas que sempre tiveram boa casa podem não dar valor a ela... Pessoas que sempre foram amadas não sabem o quão valioso é o amor. Pessoas que sempre tiveram atenção não sabem o quão bom é receber atenção. Mas se você tem sido rejeitado, ignorado, esquecido ou negado, e finalmente Deus abre uma porta e você recebe a sua benção, você vibra de alegria por causa disso.
Ana vai entregar, consagrar, dedicar seu filho ao Senhor. Não é dinheiro, pois a maioria das pessoas que dão dinheiro sabe que vão ganhar mais... sabem que conseguirão mais. Isso é um bebê!!! Foi isso que ela esperou por toda a vida para ter. Não havia garantia que ela teria outro.

Ela tinha que tomar uma decisão: ou fico com o bebê e continuo parada nessa dimensão da graça ou eu o semeio? Eu pego essa colheita e semeio na próxima colheita para eu entrar na próxima dimensão da graça.  O problema que nos mantém presos muitas vezes é que alcançamos um nível e temos tanto medo de que mais nada vai acontecer, que nos fechamos no nível que estamos e nos trancamos e agarramos a benção e corremos com ela.
Isaías diz: “Canta alegremente ó estéril, que não deste a luz” Is 54:1 O que você está me dizendo Isaías? Ele está dizendo: quando você estiver estéril, não murmure, não reclame, cante!

Ele diz: Quero ouvir louvor vindo de braços vazios... quero que alguém diga que eu sou Digno em meio a tempestade... e se você pode me louvar pelo que ainda eu não fiz, pela porta que ainda não foi aberta, pelos muros que ainda não caíram, pelas montanhas que ainda não movi, eu vou te levar de uma dimensão de graça para outra.
Ela entra com seu filho e o entrega no templo, o deixou nas mãos do Senhor. Ela traz o menino e a Bíblia diz que essa mulher então se moveu da graça da esterilidade para a graça da fertilidade.

Deus diz para ela: Agora você terá três filhos e duas filhas; você me deu um e te darei cinco. Você vai voltar recalcada, sacudida, transbordante. Ou cremos em Deus ou não cremos, ou confiamos  ou não confiamos. Ou Deus é capaz ou não é.
Ele disse três filhos e duas filhas. Cinco é o número da graça. Houve cinco feridas no corpo de Jesus, há cinco tipos de ministério, no quinto dia a terra foi completada, cinco é o número da graça, havia cinco pavimentos em volta do tanque de Betesda, cinco dedos em sua mão.  Debaixo das poderosas mãos de Deus, cinco é a graça que vai te puxar, te trazer a uma nova dimensão, a outro nível.

A graça do Senhor nos basta!!!  Tenha um ótimo dia!!!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O evangelho é cristocêntrico


Cristocentrismo é uma terminologia que usamos para colocar Cristo Jesus como centro de todas as coisas, pois segundo as Escrituras Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Todas as coisas foram feitas Nele, e sem Ele nada do que foi feito se fez.

Lamentavelmente, vivemos numa geração onde se inverteram os valores. O que deveria estar como primeiro e absoluto assume um lugar de menor relevância num mundo secularizado e antropocêntrico.

Vivemos tempos onde o homem é divinizado e Deus é humanizado. Já não é a vontade de Deus que deve ser feita na terra, mas a vontade do homem é que deve ser feita no céu. Nesses tempos, pregadores são mais importantes do que a Palavra, a performance no louvor mais importante do que a essência.
 Os homens vivem e se movem tendo como centralidade da vida o seu próprio umbigo. Isso se reflete de maneira profunda no tipo de culto que prestamos a Deus, nas nossas canções, nas nossas pregações e de maneira até inconsciente acreditamos que Deus existe por causa do homem e não o contrário.

Não buscamos mais a face de Deus, mas nos deslocamos a um templo para buscar a sua mão. Os tempos que vivemos manifestam o que Paulo disse a Timóteo: Nos últimos dias os homens serão amantes de si mesmos...
Servimos a Deus não pelo que Ele é, mas sim pelo que Ele pode dar. Não há nenhuma preocupação em alegrarmos o coração de Deus, contanto que Deus preencha nossas lacunas existências e tenhamos alívio imediato da dor causada por nossas mazelas. Somos hedonistas ao extremo, procurando desesperadamente por prazer imediato, respostas rápidas e milagres instantâneos.

Em Romanos 12:2 diz: Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que possa experimentar qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.
Só é possível renovarmos a nossa mente se atentarmos para a Palavra como foi o Rei Josias em II Crônicas 34 e 35, tirando da adoração tudo o que não pertencia a Deus e se voltando para a Sua Palavra.

Que Cristo seja realmente tudo em todos. Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos!!!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Demônios não procuram pessoas, procuram territórios – Mc 5:1-12


 Neste texto os demônios pedem para entrar nos porcos, evitando assim, não precisarem sair daquele território. O inimigo não busca apenas regiões, ele busca casas. Não me refiro apenas ao endereço. Ele quer tudo que é nascido de você. Quando o inimigo lança uma maldição, ele lança sobre um território, sobre uma casa, sobre uma família.  A casa de Davi, a casa de Isaacar, a casa dos Oliveiras, a casa dos Ferreiras, a casa dos Silva, dos Nascimento. É por isso que vemos certos espíritos que operam em certas casas.  E se você observar bem a sua árvore genealógica, você verá que está lutando com o demônio da sua avó ou da sua mãe.

A vovó se divorciou, a mamãe também, todas as suas irmãs se divorciaram. Agora seu casamento está se desfazendo, é um espírito. O problema não é o caso amoroso dele, é um espírito que veio contra a sua casa. O problema não é porque você está ganhando mais do que ele, é um espírito que veio contra a sua casa.
Por isso é preciso cuidado com a casa com quem você se casa. Você pode estar se casando com espíritos de outra casa. Você era feliz até entrar naquela família. Agora todo o inferno se levantou pois você se casou com uma maldição que havia naquela casa. Você está amarrado em um tipo de feitiço.

Rebeca era trapaceira, vigarista, extorsionária, uma mulher enganosa; ela mentiu e consentiu com seu próprio marido, manipulando seus próprios filhos. Labão era trapaceiro, vigarista, mentiroso e devasso.  Jacó era trapaceiro, usurpador e vigarista.  Quando os demônios entram em uma família, eles dizem “não nos faça sair desta área”
Vamos lembrar Davi, desequilibrado desde Jessé, excluído pelo pai... Sim, ela era ungido, mas era desequilibrado. Ele era devasso, e tinha um espírito de luxúria, um demônio do qual ele não se livrava. Este demônio veio pela rejeição de seu pai. E o inimigo viu ali uma porta aberta e plantou uma semente na vida de Davi.  Davi tinha um problema de luxúria tal, que quando era mais velho, trouxeram um jovem para sua cama e como ele não a tocou, disseram: O rei está morto. Não era de se admirar que o seu filho Absalão fosse enganador e traiçoeiro e Amon tivesse estuprado meia –irmã Tamar.  Sem nos esquecer de Salomão que teve tantas mulheres estrangeiras que perdeu o controle do reino, pois havia um espírito dentro de casa.

Sobre a vida de Abraão havia uma promessa de Deus – uma descendência que não se poderia contar. Houve um contra ataque do inferno e a Bíblia diz que Sara era estéril e na poderia ter filhos. Deus de uma maneira sobrenatural concedeu Isaque.
Isaque se casa com Rebeca e esta também é estéril. Deus repete o mesmo milagre da geração passada e Rebeca vem a gerar Jacó.

Jacó se casa com Raquel e esta também é estéril e mais uma vez Deus age sobrenaturalmente e nasce José.
Antes que esta maldição que trazia esterilidade a família se perpetuasse, Jacó ao abençoar os seus filhos lança uma palavra de benção sobre a vida de José, palavra esta que mudaria toda a história de sua família e descendência.

José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro.
Os flecheiros lhe deram amargura, e o flecharam e odiaram. O seu arco, porém, susteve-se no forte, e os braços de suas mãos foram fortalecidos pelas mãos do Valente de Jacó (de onde é o pastor e a pedra de Israel).  Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos seios e da fertilidade”    
Gn 49:22-25
Venceremos a esterilidade das promessas no Nome de Jesus!  Tenha um ótimo dia!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Jesus o amava, mas ele morreu!!!



Jesus amava Lázaro, mas Lázaro morreu. E se ressuscitou, antes havia morrido, de dia em dia, de fôlego em fôlego, até o fim; e, depois, tão bem morrido esteve, que apodreceu ao ponto de criar o choque de repugnância que sobre todos veio. “Já cheira mal. Já é de quatro dias” — era o que se sabia sem dúvida alguma.
 Enquanto ficava fraco, era amado. Enquanto sucumbia à doença, era amado. Enquanto falia dia a dia, e gemia em dores, até esvair-se, e morrer, era, todavia, muito amado.

 E se não tivesse ressuscitado seria menos amado?
 Ah, não mesmo! Afinal, Jesus mesmo disse que estava fazendo o que fizera, apenas para que os homens cressem, e não para Lázaro se sentisse mais amado.

 Lázaro morreu. Mas e daí? Se Paulo dizia que era lucro partir e estar com Cristo, que não dizer do fato que para Lázaro o céu estava Lá e estava Cá; pois, Lá, estava Cristo, no Mistério do Pai; e, Aqui, estava Jesus, que era Um com o Pai.
 “Já passou da morte para a vida” é a garantia que Jesus nos dá quanto ao fato de que agora tudo é nosso, seja a vida, seja a morte, sejam as coisas do presente ou do porvir, tudo é nosso, e nós de Cristo, e Cristo de Deus.

 Isto é o que significa a afirmação de Paulo acerca de que nada, em nenhuma dimensão, pode nos separar do amor de Cristo.   
 
Trecho extraído de um artigo de Caio Fábio

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Esperança, a âncora da alma


"...tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança" (Rm 15. 4).

A esperança é um dos assuntos mais empolgantes das Escrituras. Ela é um dos temas mais abundantes e consoladores das Sagradas Escrituras.
As Escrituras ensinam que bem aventurados são aqueles "cuja esperança está no Senhor, seu Deus, que fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e mantém para sempre a sua fidelidade" (Sl 146. 6).

Contudo, há no mundo, muitas pessoas infelizes e sem esperança. Muitas tiveram a esperança soterrada pelas avalanches da vida, pelas tempestades e ventos contrários.
No entanto, a igreja de Cristo tem uma viva esperança. Somos o povo da expectativa, que crê na possibilidade do sobrenatural a qualquer momento, e, que vive na perspectiva do reino de glória. A esperança é a riqueza daqueles que nada têm, mas que tudo possuem. Ela é comparada a uma âncora de uma embarcação.

O escritor aos Hebreus destaca que o cristão tem uma esperança cujo fundamento é a promessa e o juramento do próprio Deus. Vejamos à luz de Hb 6. 18, 19 duas marcas da esperança do cristão:
A esperança do cristão é segura

Observem o que diz a Bíblia: "...a fim de lançar mão da esperança proposta; a qual temos por ancora da alma, segura ..." (Hb 6. 18, 19). Essa é a única vez que a palavra âncora é usada como metáfora da esperança. A função da âncora é promover estabilidade à embarcação. Não importa as circunstâncias, a âncora deve permanecer fixa no fundo do mar. Contudo, precisamos notar algumas distinções existentes entre a âncora de um navio e a âncora da alma: enquanto a âncora se estende para as profundezas do oceano, a esperança como âncora da alma se estende para a eternidade, além do véu, no Santo dos Santos.

A esperança do cristão é firme
 Além da esperança do cristão ser segura, ela também é firme.

 "...a fim de lançar mão da esperança proposta; a qual temos por ancora da alma, segura e firme ..." (Hb 6. 18, 19). A esperança do cristão é firme porque está firmada nas fiéis promessas do Deus imutável e penetra além do véu.
Deus deu aos herdeiros da promessa duas coisas imutáveis: promessa e juramento, para que os filhos de Abraão tivessem uma esperança firme e segura . O Senhor jurou pelo seu próprio nome. Por isso, o cristão deve exultar e ser pleno na certeza da esperança. Ela é a herança do salvo. Portanto, lancemos mão da esperança proposta; "a qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque" (Hb 6. 19, 20).


Deus te abençoe!!!








quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O véu rasgado


“E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;” (Mateus 27:50-51).

 “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, [pela] sua carne, E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,” (Hebreus 10:19-22).

A morte de Jesus é a maravilha do tempo e da eternidade, e, assim como a vara de Arão devorou todas as demais, essa morte absorve em si todas as maravilhas menores.

No entanto, o rasgo do véu do Templo não é um milagre que deva se considerar sem atenção. Ele havia sido fabricado de “um linho retorcido, com querubins de obra primorosa.” Isso nos dá a ideia de uma tela resistente, de uma peça de tapeçaria duradoura, capaz de resistir a mais severa tensão. Nenhuma mão humana teria sido capaz de romper essa coberta sagrada; e não teria podido ser dividida em duas por alguma causa acidental; no entanto, e é estranho dizê-lo, no instante em que a santa pessoa de Jesus foi rasgada pela morte, o grandioso véu que ocultava ao Santo dos Santos “se rasgou em dois de cima abaixo.”

Não é algo extravagante considerá-lo como um solene ato de dor por parte da casa de Deus. No Oriente, os homens expressam sua dor rasgando suas vestes; e o Templo, quando viu seu Senhor morrer, parecia golpeado pelo horror e rasgou seu véu. Sacudido pelo pecado do homem, indignado pela morte de seu Senhor, em sua simpatia por Aquele que é o verdadeiro Templo de Deus, o símbolo externo rasgou sua santa vestimenta de cima abaixo. Por acaso não significou também, esse milagre, que a partir dessa hora, todo o sistema de tipos, sombras e cerimônias haviam chegado a seu fim? As ordenanças de um sacerdócio terreno foram rasgadas com esse véu. Em sinal da morte da lei cerimonial, sua alma abandonou o sagrado santuário, e deixou seu tabernáculo corpóreo como algo morto. A dispensação legal havia terminado.

O rasgo do véu significou principalmente, que o caminho ao Lugar Santíssimo, que não havia sido manifesto antes, ficava agora aberto a todos os crentes. Uma vez ao ano, o sumo sacerdote levantava solenemente uma ponta desse véu, com temor e tremor, e com sangue e santo incenso passava à imediata presença de Jeová; porem, o rasgão do véu abriu o lugar secreto. O rasgo de cima abaixo proporcionará amplo espaço para que entrem todos os que são chamados pela graça de Deus, para que se aproximem ao trono e tenham comunhão com o Eterno.

O véu rasgado parecia dizer: “a partir desse momento, Deus já não habita mais na densa escuridão do Santo dos Santos, e não brilha mais em meio dos querubins. O recinto especial foi aberto, e já não existe um santuário interior ao que posso entrar o sacerdote terreno: as expiações e os sacrifícios que serviam de tipo, chegaram a seu fim.”

Já não resta-nos nenhum véu. Por que nos colocamos tão longe e trememos como um escravo? Aproximemo-nos com plena certeza de fé. O véu está rasgado: o acesso é livre. Vamos com liberdade ao trono da graça. Jesus o levou perto, tão próximo de Deus como Ele mesmo está próximo. Ainda que falemos do Lugar Santíssimo, do próprio lugar secreto do Altíssimo, no entanto, é desse lugar imponente, desse santuário de Jeová, que se rasgou o véu, portanto, não permitamos que nada impeça nossa entrada. Certamente nenhuma lei nos proíbe, mas bem, o infinito amor nos convida a aproximarmos de Deus.
 
 
Trechos de um sermão de Charles Spurgeon

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O Reino de Deus e o inimigo "ignorância"


Jesus nunca pregou milagres ou curas, mas sim pregou o Reino de Deus. As curas, os milagres e até a cruz não eram um fim, o objetivo final em seu ministério e sim um meio de colocar as pessoas dentro desse Reino. A sua principal missão, a razão de sua vinda a esta terra foi nos entregar um Reino.
Mateus 4: 17: “Desde então começou Jesus a pregar e dizer – arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos Céus”   

Lucas 4:43: Eu devo pregar as boas novas do reino de Deus em outras vilas também, porque foi para isso que eu fui enviado.
Ele não disse: “ É do agrado de meu pai perdoar os seus pecados” – Ele disse: “É do agrado do Pai vos dar o Reino.” A razão pelo qual ele perdoa pecados e para que nós possamos entrar no Reino.  Por isso não nos apropriamos do Reino, porque fazemos dos meios os fins.

O Reino de Deus é nossa herança e  direito
 Mateus 25: 34 – “Vinde benditos de meu Pai, possui por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”.

 A religião diz que a herança de Deus é casas, carrões, mansões, vida boa, mas ele prometeu o Reino como herança. A maioria dos cristãos está focada em bens materiais como a herança de Deus para eles.
Nós não deveríamos estar perseguindo “coisas”, mas, elas deveriam estar nos perseguindo.   A Bíblia diz: Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça e sua justiça e as demais coisas – casas, carros, etc, vos serão acrescentadas.
As coisas não nos têm sido acrescentadas porque não entendemos o Reino. Quando começamos a entender o Reino de Deus nossos valores mudam. Nós paramos de buscar “coisas” e passamos a operar em outro sistema.

A coisa mais importante é entender o Reino.  Não se pode experimentar o Reino sem compreendê-lo.  Se não entendermos o Reino, nunca experimentaremos a vida no Reino.
A última coisa que o diabo quer é que alguém entenda a mensagem do Reino. O inimigo do Reino é a ignorância.  A principal causa do sofrimento do homem não vem do diabo ou seus demônios e sim da falta de conhecimento. 
Sucesso no Reino requer o conhecimento de seus segredos. O Reino de Deus é como qualquer país ou governo. Você deve aprender os segredos de como funciona, senão não funcionará para você.  A chave de tudo é ENTENDER.
O diabo não liga para quantos louvores você possa cantar, quantas mensagens possa pregar, quantos anos você tem de cristão. Ele nem liga para as profecias que você profetiza, para quantos dons espirituais você tem, contanto que você não entenda os mistérios do Reino de Deus.
Em Mateus capítulo 13 do versículo  10 em diante, Jesus tentava explicar o Reino de Deus e contou a “parábola do semeador.”
Um de seus discípulos o interpelou dizendo: “Porque a eles falas por parábolas e a nós fala claramente. A resposta de Jesus foi no mínimo intrigante:  Para que não entendam, não se convertam e eu os cure”. A doença deles era a falta de entendimento, a ignorância.  
Jesus prossegue dizendo: Os santos e profetas do passado não tiveram o privilégio de conhecer os mistérios desse Reino, mas a vocês é dado conhecer esses mistérios.   E Ele adverte: (Verso 19) – “Quem ouve e não entende a mensagem do Reino, o próprio Maligno vem e rouba do coração”.                                                                                                                                

terça-feira, 30 de julho de 2013

quarta-feira, 17 de julho de 2013

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Diferenciando lobos de ovelhas


"Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas? Semelhantemente, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins. A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!” Mateus 7:15-20.

O Senhor Jesus Cristo advertiu seus seguidores: “Cuidado com os falsos profetas, que vêm a vós em pele de cordeiro, mas por dentro são lobos devoradores”. (Mateus 7:15). O alerta foi importante porque mais tarde, Jesus disse-lhes:
”Eis que  vos envio como ovelhas no meio de lobos; portanto, sejam astutos como as serpentes e simples como as pombas”. Mateus 10:16

O apóstolo Paulo, com um espírito profundamente perturbado e em lágrimas, escreveu um aviso similar aos anciãos da igreja em Éfeso:
”Eu sei que depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio do rebanho, e não os pouparão”.  Atos 20:29

O fato de que as pessoas que Paulo encontrava fossem bispos constituídos pelo Espírito Santo para apascentar a igreja de Deus não significa que eles fossem excluídos desta advertência. Entre estas pessoas, que até então apascentavam a igreja de Deus, haveria alguns que um dia, em vez de liderar os discípulos atrás de Cristo, conforme eles costumavam fazer, eles começariam a liderá-los após si próprios. Esta é uma advertência muito clara. Um ministro pode começar muito bem. Um servo de Deus pode ter sido constituído por Ele no ministério; o Senhor mesmo pode tê-lo constituído para ser um ancião. Contudo, o que começou bem não significa necessariamente que continuará bem. Alguns servirão como deveriam. No entanto, alguns outros não. Embora Deus colocasse-os no ministério, dando-lhes presentes para servir a Seu povo, no final eles se voltariam e usariam estes presentes para fazer os discípulos seguirem-no em vez de Cristo.
Ao longo da história da igreja esses avisos sobre cristãos professos que enganam até os escolhidos, raramente têm sido levados a sério. Como a igreja pode ser tão facilmente enganada? “Enganar” significa “levar algo errado a ser aceito como verdadeiro ou o inverso.” Poderia a Igreja ter perdido não apenas sua capacidade de discernir a verdade do erro, mas também a capacidade de diferenciar os lobos dos cordeiros? Os genuínos líderes cristãos devem soar o alerta sobre esses tais enganadores.

”Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo”. II Coríntios. 11:13.
Eles devem ser expostos conforme Efésios. 5:11: “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as”.

Nós todos vivemos em dias de grande engano. Que Deus dê a Sua Igreja o dom do discernimento como nós levamos a advertência de Paulo a sério:
“Vede que ninguém vos faça presa por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo “  Cl 2:8.

 

 

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Cuidado com o pecado de estimação



 “Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado”. (João 8:34)

O pecado tem sido camuflado nestes dias, aparecendo sendo travestido de uma nova cara, uma nova roupagem. Ele é denominado por diversos nomes, que podem ser até bonitos e glamorosos, mas trazem em si uma sutil estratégia satânica para te fazer crer que ele não é nenhum grande problema e também não é a principal causa de todas as mazelas e sofrimentos do homem.

 Os homens já não vivem sob certeza e convicção de pecados; eles têm um "complexo de culpa", remorso ou ataques psicóticos, quando não se atribui a isso fragilidade emocional. Esse diagnóstico humano e mentiroso os permitirá, por pouco tempo, acomodar a consciência atormentada pelo peso do pecado.
Se você esta sendo escravizado por algum tipo de pecado, precisa tratar com ele imediatamente. Você precisa livrar-se disso. O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado. Ao invés de tentar disfarçar o pecado ou procurar uma palavra “light” para ocultá-lo, chame-o por seu nome correto e livre-se dele pela graça de Deus.  A Bíblia diz que aquele que confessa e deixa, alcança misericórdia. (Pv 28.13)

Um pecado de estimação é aquele que você alimenta, acaricia todos os dias.  É aquele que já não nos entristece mais, não nos incomoda mais e, por fim, é aquele que não abandonamos.

Somos perdoados pelo Senhor quando nos arrependemos. Arrependimento é sentir tristeza pelo pecado, confessar o pecado e abandonar o pecado.
Uma alma perdoada é capaz de experimentar absoluta paz mesmo em meio aos desafios do cotidiano. Essa paz não é humana, natural ou terrena, ela transcende as dimensões carnais e intelectuais e só em Jesus podemos achá-la.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Lutando por sua herança

A Bíblia relata a história de cinco mulheres especiais, de cinco filhas de Deus que não se conformaram com a condição de exclusão sobre suas vidas e foram precursoras em sua época. São as filhas de Zelofeade.

Zelofeade era da tribo de Manassés que acabou padecendo no deserto. Embora não tendo participado daqueles que “rebelaram-se contra o Senhor”, Zelofeade morreu no seu próprio pecado, por acreditar nos espias murmuradores e descrentes (Nm 27:3).
As suas  cinco filhas achegaram-se a Moisés para reivindicar a herança de seu pai. Até aquele momento, a lei hebraica só concedia direito aos filhos, porém as filhas de Zelofeade não possuíam irmãos. Moisés levou a causa delas ao Senhor e intercedeu por elas. A resposta do Senhor foi positiva as filhas de Zelofeade.

O Salmo 84 diz que o Senhor não sonegará bem algum aos que andam na retidão, ou seja, que andam retamente (Sl 84:11b).
Por falarem e por viverem uma retamente diante do Senhor as filhas de Zelofeade alcançaram o favor do Senhor e receberam a possessão por herança da parte do Senhor (Nm 27:7;36:2). E através da vida e do pedido daquelas mulheres, todo aquele que não possuísse filho homem, sua herança passaria para a filha (Nm 27:8).

Elas se chamavam Maala, Noa, Hogla, Milca e Tirza.
Tanto a história das filhas de Zelofeade, bem como, o significado de seus nomes possuem um significado espiritual

1)      Maala – O nome da primeira filha é Maala e significa confiança
2)   Noa – Significa aquela que não se detém, que ninguém pode deter. É aquele que persevera em oração, que não é morosa, parada, detida ou interrompida
3)   Hogla – Significa aquela que não anda com os pés amarrados . Que não está amarrada aos cuidados deste mundo, mas que anda pela fé em Deus todos os dias de sua vida
4)  Milca – Milca significa aquela que tem autoridade.
5)  Tirza – Por fim, Tirza, que significa deleite, a delícia da vida e prazer de Deus

Não desista das promessas e herança de Deus para sua vida. Lute, persevere e não esqueça da confiança, livre-se dos embaraços, seja livre no Senhor, tenha autoridade espiritual através da oração e descanse no Senhor.


Tenha um dia abençoado!!!

sábado, 1 de junho de 2013

Essas coisas nunca falham...


O soberbo cairá...

O humilde aprenderá...

O rico ficará vazio...

O pobre será farto...

O altivo será quebrantado...

O quebrantado será elevado em espírito...

O elevado em espírito será muito tentado...

O tentado se conhecerá...

 
 
Assim também...

O fraco que não é covarde é fortalecido...

O simples que não é tolo torna-se sábio...

O que renuncia a tudo... de tudo fica livre...

O que ama a tudo o que seja verdade vence todo medo...

 
 
Por isto também...

A coragem do louco é o ódio...

A vingança do tolo é blasfêmia sem que ele o saiba...

A justiça do ódio é a morte e o inferno...

 
 
Ainda também...

O que mente será apanhado sempre...

O que esconde o mal terá que mostrá-lo da varanda...

O que engana ao povo será blasfemado...

 
 
Porém...

O generoso será rico de tudo...

O perdoador será um filho de Deus no mundo...

O que ama, será herdeiro de tudo!